PSOL protesta contra prisão de cacique Tupinambá Maria Valdelice
8 de Fevereiro de 2011 08:34

http://blogfolha.com/?p=24474

http://www.bahiaja.com.br/noticia.php?idNoticia=32745

http://www.jusbrasil.com.br/politica/6541449/executiva-do-psol-protesta-contra-prisao-cacique-maria-valdelice

http://psolba.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=122:cacique-maria-valdelice-e-presa-injustamente&catid=43:noticias&Itemid=106

05 de fevereiro, 2011

A executiva do Partido Socialismos e Liberdade (PSOL) manifesta seu repúdio à prisão da cacique Maria Valdelice Amaral de Jesus, liderança do povo Tupinambá de Olivença, sul da Bahia, ocorrida na tarde do dia 3, terça-feira. Para Zilmar Alverita, "primeiro foi o Cacique Babau, depois seus irmãos Givaldo e Glicéria, agora foi a vez da Cacique Maria Valdelice (Jamopoty).

Esta prisão demonstra a terrível perseguição que os indígenas no Sul da Bahia estão sofrendo e o processo de criminalização de suas lideranças beneficiando apenas os fazendeiros", afirma a membro da executiva do PSOL e ex-candidata a senadora.

"Acusar alguém que luta pela retomada de seu território tradicional dos crimes de esbulho possessório (art. 161 §2º, II CP), formação de quadrilha ou bando (art. 288 CP) e exercício arbitrário das próprias razões (art. 345 CP) é inaceitável. Ser uma mulher líder de um povo é crime? Agir coletivamente, marco tradicional de todos os povos indígenas, virou formação de quadrilha? Lutar por direitos negados pelo Estado virou exercício arbitrário das próprias razões? Não aceitamos as acusações e vamos usar de todos os meios ao nosso alcance para denunciar esses absurdos e lutar pela libertação da cacique Maria Valdelice", enfatiza Zilmar Alverita.

A dirigente do PSOL acredita que o Estado tem uma dívida histórica com os povos indígenas. "Esta é uma luta de todos os brasileiros, de todas as etnias. É preciso mais que urgente que todos os cidadãos brasileiros somem forças para cobrar que esta dívida seja definitivamente paga com a demarcação dos territórios tradicionais." Zilmar Alverita finaliza afirmando que "é por causa dessa inércia do Estado que os povos indígenas estão na prática, por sua conta e risco, fazendo a autodemarcação. Não são invasores nem bandidos. Lutam apenas por seus direitos e contam com nosso irrestrito apoio".


 

 
 

 

Voltar

- Copyright 2010- ANAI - Todos os direitos reservados - webmaster@anai.org.br -
Rua das Laranjeiras, n° 26, 1° andar, Pelourinho- CEP: 40026-700
Salvador - Bahia - Brasil
Tel. Fax: 0**71 3321.0259 - Email: anai@anai.org.br
- VONO: 71. 4062.9029 -